sábado, 1 de novembro de 2008


Não sei o que lhe deu, via-o como uma pessoa calma e serena, cheia de juízo, às vezes muito introspectivo, mas sempre com um olhar longínquo e pensativo. Porém, agora, reflectindo melhor, reconheço que deveria ter duvidado daquele olhar e concluir que não é lá muito natural uma pessoa andar quase sempre sózinha e taciturna, acho que até o vi algumas vezes a falar sózinho, não sei, dou-me conta que, afinal, seguindo o velho ditado de que as aparências iludem, o Senhor Tadeu gosta é de andar em cavalos amarelos, ouvir o relinchar típico desses soberbos animais, sentir o vento no rosto, dobrar a meta.

2 comentários:

Luísa disse...

Cá no meu íntimo, Flip, acho que invejo o Senhor Tadeu. Deve dar um certo gozo cavalgar esses pequenos alazões. Para as crianças são irresistíveis... Mas o estatuto de maioridade obriga, está claro, a manter a compostura. :-)

Flip disse...

cara luísa,
a compostura, pois...ele continua reprimido, mas está muito melhor, já vai cavalgando... :-)