terça-feira, 15 de dezembro de 2009



Boa novidade:
"O Ministério do Ensino Superior autorizou a abertura de um curso de Medicina na Universidade de Aveiro, a partir do ano lectivo 2011/12, exclusivamente destinado a pessoas que já tenham uma licenciatura noutras áreas da Saúde.
Com uma duração de quatro anos, o curso resulta de um consórcio entre a Universidade de Aveiro e o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, da Universidade do Porto, no âmbito do qual serão desenvolvidos programas conjuntos de ensino e investigação. A admissão dos candidatos será feita com base na avaliação do currículo e da realização de uma prova de conhecimentos em Biomedicina e de um teste de aptidões clínicas semelhante ao adoptado em várias faculdades de Medicina britânicas.O curso arrancará em 2011 com apenas 40 alunos, número que será gradualmente aumentado até atingir 120 novas entradas por ano."

Leia mais no "Expresso" aqui.

Num país em que os médicos já são "importados" faz todo o sentido este tipo de decisões.
Oxalá posteriormente os jovens consigam realizar-se profissionalmente, pois nesta área, sei de enfermeiros que andam aos papéis em escritórios, o que é lamentável!

2 comentários:

Luísa disse...

Flip, o número parece-me sempre pequeno. E a importação de médicos vai continuar. Será que não temos meios para formar mais médicos? Ou será, apenas, que achamos que os médicos têm de provir de uma elite estudantil e ser todos génios? O certo é que, à conta do «numerus clausus», uma qualidade que hoje raramente encontro num médico é, sem dúvida, a humildade.

Flip disse...

Luísa,
concordo que o número deveria ser maior e concordo também com a falta de humildade de alguns desses profissionais, será que se julgam pequenos deuses? Não sei, inclino-me mais para a falta de chá em pequeninos...
:-)