quarta-feira, 19 de novembro de 2008


"Um taoísta chinês, escreveu mais ou menos isto:«Na região de Chiang-Shih, no estado de Song, há lindas florestas de plátanos, amoreiras e ciprestes. Quando atingem dois ou três palmos de altura, algumas dessas árvores são cortadas para servir de poleiros; das que medem quatro ou cinco palmos, há algumas que são cortadas para fazer estacas e das que chegam aos sete e oito palmos, muitas são serradas para tábuas de caixões. Assim, nenhuma destas chegou ao termo normal da sua vida nem pôde desfrutar, do alto do seu cume, a imagem do mundo para a qual tinha sido criada e, a meio do seu destino, caiu sob os golpes do machado. Este é o perigo de se ser útil."
(António Alçada Baptista in O Riso de Deus)

2 comentários:

Gi disse...

És útil? Cortam-te as asas para não poderes voar.


Obrigada pela visita ao meu blogue.

fugidia disse...

:-)