domingo, 15 de novembro de 2009


“ - Ele escreve versos!
Apontou o filho, como se entregasse o criminoso na esquadra. O médico levantou os olhos, por cima das lentes, com o esforço de alpinista em topo de montanha.
- Há antecedentes na familia?
- Desculpe, doutor?
O médico destrocou-se em tintins. Dona Serafina respondeu que não. O pai da criança, mecânico de nascença e preguiçoso por destino, nunca espreitara uma página. Lia motores, interpretava chaparias.
(...)
Olhos baixos, o médico escutou tudo, sem deixar de escrevinhar num papel. Aviava já a receita ara poupança de tempo. Com enfado, o clínico se dirigiu ao menino:
- Dói-te alguma coisa?
- Dói-me a vida, doutor.
O doutor suspendeu a escrita. A resposta, sem dúvida, o surpreendera. Já Dona Serafina aproveitava o momento: Está a ver, doutor? Está a ver? O médico voltou a erguer os olhos e a enfrentar o miúdo:
- E o que fazes quando te assaltam essas dores?
- O que melhor sei fazer, excelência.
- E o que é?
- É sonhar.
(...)
Na semana seguinte foram os últimos a ser atendidos. O médico, sisudo, taciturneou: o miúdo não teria, por acaso, mais versos? O menino não entendeu.
- Não continuas a escrever?
- Isto que faço não é escrever, doutor. Estou, sim, a viver. Tenho este pedaço de vida – disse, apontando um novo caderninho – quase a meio.
O médico chamou a mãe à parte. Que aquilo era mais grave do que se poderia pensar. O menino carecia de internamento urgente.
- Não temos dinheiro – fungou a mãe entre soluços.
- Não importa – respondeu o doutor.
Que ele mesmo assumiria as despesas. E que seria ali mesmo na sua clínica que o menino seria sujeito a tratamento. E assim se procedeu.
Hoje quem visita o consultório raramente encontra o médico. Manhãs e tardes ele se senta num recanto do quarto onde está internado o menino. Quem passa pode escutar a voz pausada do filho do mecânico que vai lendo, verso a verso, o seu próprio coração. E o médico, abreviando silêncios:
- Não pare meu filho. Continue lendo...”

Mia Couto in O Menino que escrevia versos (O Fio das Missangas)

7 comentários:

uminuto disse...

bom ler estas palavras de um dos meus escritores preferidos
um beijo

uminuto disse...

bom ler estas palavras de um dos meus escritores preferidos
um beijo

Flip disse...

uminuto,
ainda bem que gostaste :-)
beijos

Luísa disse...

Muito bonito, Flip. :-)

Flip disse...

Luísa,
sem dúvida, o Mia Couto tem uma sensibilidade extraordinária
:-)

Vera disse...

Mia Couto tem uma escrita maravilhosa. Simples e cheia.

Flip disse...

Vera,
e a sua simplicidade é brilhante não é? :-)