segunda-feira, 23 de novembro de 2009



Se a obra de arte proviesse da intenção de fazê-la, podia ser produto da vontade. Como não provém, só pode ser, essencialmente, produto do instinto; pois que instinto e vontade são as únicas duas qualidades que operam. A obra de arte é, portanto, uma produção do instinto. O drama, sendo primariamente uma obra de arte, é-o também.

Fernando Pessoa in "Prosa", 1916

Será? Não creio, entendo que Pessoa não quis generalizar, a vontade é inerente à obra e ao resultado que o 'artista' busca, não será?

4 comentários:

Gi disse...

Será ou não será? Eis a questão!

Flip disse...

Gi,
aí está o que é...
:-)

Luísa disse...

Flip, a obra de arte não pode ser produto da vontade, ou seríamos todos artistas. A vontade faz, sem dúvida, a obra, mas não necessariamente uma obra de arte. O factor «arte» provém de qualquer outra coisa não «comandável», nem «encomendável», que será talento, genialidade, instinto… Instinto, talvez sim. :-)

Flip disse...

Luísa,
ei-la, pois, no caminho do Mestre, tá bem, um instinto inato e individual, talvez, sim.
:-)